White Collar Season 3 Episode 10 Review: “Countdown”

A corrida contra o tempo começou neste episódio de Colarinho branco . Peter traz o Agente Kramer (ator convidado Beau Bridges) quando o FBI fica sabendo do quadro de Degas que foi vendido em Nova York. Peter e o agente Kramer interrogam Neal, fazendo-lhe perguntas hipotéticas sobre a pintura e o que ele faria para se livrar dela e evitar ser derrubado pelo FBI. O agente Kramer então apresenta a Neal dois suspeitos: Gus Leland, que lida exclusivamente com impressionistas franceses, e Rusty, um especialista em detectar falsificações de arte. É revelado mais tarde no episódio que Rusty é a pessoa a quem Mozzie cercou o Degas, e agora Neal tem que recuperar a pintura antes de Peter e o Agente Kramer o fazerem. Deixe a corrida começar.

Gostei de assistir Neal ser mais esperto que Peter com um Degas falso, que ele mesmo pintou e trocou pelo verdadeiro no apartamento de Elliot Richmond. Quando vi que Neal teve que pular do 43º andar, fiquei muito nervoso e me pergunto o que estava se passando pela mente de Matt Bomer quando ele estava filmando esta cena em particular. Ele estava nervoso como eu estava sentindo quando assisti a cena se desenrolar, ou ele jogou toda a cautela ao vento e apenas partiu em frente?

A cena em que o agente Matthews é chamado por Peter (presumo, já que ela perguntou a Neal no elevador se ele estava subindo para ver o agente Burke e depois que Neal respondeu afirmativamente, ela sugeriu que os dois subissem juntos) foi perfeita - mordendo porque Neal a conheceu sob o pseudônimo de Chris Gates, um agente da Interpol, e se ela o chamasse por esse nome ao conhecer Peter, então o inferno poderia explodir. Então, soltei um suspiro de alívio porque o pensamento rápido de Neal salvou sua bunda mais uma vez quando ele disse ao Agente Matthews que ele está disfarçado no FBI para expulsar uma toupeira na Divisão de Colarinho Branco. No final, a verdade veio à tona, mas ninguém disse nada a ninguém porque, como o agente Matthews disse, se ela contasse a seu chefe, o agente Kramer, o fato de ter contado a Neal sobre a existência do manifesto do submarino sobre martinis, sua carreira acabou.

Também parece que Matthew Keller ainda está na cidade quando aparece diante de Mozzie, já que este está vendendo suas roupas nas ruas de Nova York, perguntando ao conspirador residente sobre o tesouro. Quando Mozzie não dá as informações sobre o tesouro, Keller decide aumentar a aposta. Lembra quando eu disse que Keller sequestrou Peter e Elizabeth em episódios separados? Bem, agora é a vez de Elizabeth ser sequestrada enquanto ela é tirada de sua casa enquanto cozinha o jantar para ela e Peter. Keller então liga para Peter após o fato, dizendo-lhe que ele precisa de sua ajuda para pegar o tesouro e que Neal estava de posse dele o tempo todo. Acho que Neal vai ficar em maus lençóis, agora que seu segredo mais bem guardado foi revelado.

No final do episódio, Richmond é derrubado e o Degas é confirmado como uma falsificação (graças a Neal). Enquanto isso, de volta ao apartamento de Neal, o ex-vigarista serve dois copos do melhor Bordeaux para ele e Mozzie. Mozzie não aceita o copo que Neal lhe entrega enquanto pergunta a Neal se ele notou a ampulheta na mesa. Parece que Mozzie deu um ultimato a Neal, para que ele escolhesse entre partir para o paraíso ou ficar em Nova York. Neal, depois de algumas lutas internas, optou por ficar, deixando Mozzie sem acreditar, dizendo que Neal tem a Síndrome de Estocolmo e que acha que ele e Neal terão um final feliz para sua história. Concordo com o que Neal disse que se você quer um final feliz, depende de onde você pára a história. Se Neal escolheu deixar tudo para trás para viver no paraíso, então em algum lugar no futuro, ele está fadado a ser pego, se não por Peter do que por outra pessoa. E se fosse outra pessoa, então eles poderiam não estar muito inclinados a dar uma folga a Neal como Peter faz. Esperamos que no próximo episódio todos tenham um final feliz.

[Foto via USA Network]