Resenha da temporada 1 do episódio 9 da Suits: “Invicto”

É um fato bem conhecido que nenhum advogado na face da terra pode derrotar o grande Harvey Specter quando se trata de batalhas judiciais, mas neste episódio de Se adequa , Harvey encontra seu par. Entra Travis Tanner, um sócio sênior do escritório de advocacia Clyde-MacPhee em Boston. Tanner foi chamado para resolver o processo contra a Emerson Petroleum para que a empresa ganhe o caso. O advogado de Boston falava em círculos ao redor de Harvey e zombava do outro advogado com o fato de que Harvey sofreu uma lesão no ombro que o impediu de jogar com o time de beisebol da escola nos campeonatos estaduais durante seu último ano. Que jeito de cutucar o urso, Tanner.

Caso de tribunal à parte, parece haver um indício de um motim dentro de Pearson Hardman. Aparentemente, um associado vazou uma lista de testemunhas confidenciais para uma empresa rival chamada Wakefield-Cady, e Mike decidiu bancar o detetive para descobrir quem vazou a lista enquanto fazia várias tarefas ao caso de Harvey. A cena com Mike e o cara de TI Benjamin foi ótima. Mike usou sua memória fotográfica para conseguir o nome da pessoa que conseguiu o código de funcionário de Rachel para incriminá-la pelo crime. A expressão de choque no rosto de Benjamin, quando Mike disse a ele que não havia vírgulas no papel, foi impagável. Para aqueles que acompanham a pontuação, é Mike: 1, Benjamin: 0.

Também gostei da cena em que Harvey estava dizendo a Mike para cavar em Travis Tanner para que o advogado mais velho pudesse usar as informações contra ele da mesma forma que Tanner fez quando o advogado de Boston mencionou os campeonatos estaduais. Quando Harvey disse a Mike que Seu Royal Airness, Michael Jordan, assistia a mais filmes de jogos do que qualquer pessoa, Mike não acreditou nele até que Harvey sacou seu telefone e desafiou Mike a ligar para Jordan. Basta dizer que o advogado mais jovem ficou chocado quando ouviu a voz de Jordan do outro lado da linha.

Eu meio que rolei meus olhos quando Harvey canalizou seu James Bond interior na cena em que ele estava falando com sua PI Vanessa. No entanto, eu acho que Harvey é como o infame espião britânico, já que os dois falam muito bem e sempre pegam a garota.

No final, Harvey derrotou Tanner, depois que Mike lhe deu alguns conselhos, e ganhou o caso contra a Emerson Petroleum. Fiquei um pouco triste por Harvey quando Jessica disse a ele que a empresa não seria capaz de cobrir o milhão de dólares que ele gastou de seu próprio bolso para conseguir algum tempo extra para ganhar o caso, mas Harvey pode recuperá-lo facilmente: ele é Harvey Specter.

Além disso, Mike descobriu a pessoa responsável por vazar a lista de testemunhas e incriminar Rachel: Jimmy. Acontece que Jimmy vazou a lista porque Wakefield-Cady lhe ofereceu uma sociedade júnior se ele vazasse a lista, mas o escritório de advocacia recusou a oferta depois que a ação foi feita, deixando Jimmy irritado e desapontado. Se você quer a cenoura, então tem que trabalhar duro para ganhá-la e não ir pela porta dos fundos; assim que os bandidos obtiverem o que desejam, qualquer promessa feita será nula e sem efeito.

Também é meio irônico que a senhora que é uma das demandantes no caso da Emerson Petroleum disse que Mike e Rachel vão ficar juntos em breve porque esses dois não se encontraram de fato até a segunda temporada. Quero dizer que ela deve ser uma médium, mas como Patrick Jane disse, não existe médium.

[Foto via USA Network]