Crítica do episódio 2 da temporada 1 da Suits: “Erros e omissões”

Parece que Mike ainda precisa aprender muito sobre como se manter na Pearson-Hardman neste episódio de Se adequa . Fiquei novamente surpreso que o associado gênio não sabia como preencher a patente de um produto, mas eu sabia no fundo da minha mente que Mike, sendo um gênio, não necessariamente sabe tudo sobre a lei. Eu mantive a palma da mão quando um colega associado, Gregory Boone, 'se ofereceu' para ajudar Mike com a patente em troca de ajudá-lo a revisar as cuecas Bainbridge. Má jogada, Mike, má jogada. Descobri, depois de assistir aquela cena com Mike e Gregory, que Mike confia nas pessoas com muita facilidade e não percebe que as pessoas em quem ele confia não o ajudarão porque é cada pessoa por si mesma na Pearson-Hardman.

Eu também senti um pouco de pena de Harvey quando ele foi na frente de um juiz, Donald Pearl (ator convidado Currie Graham, que também estrelou emO Mentalistacomo Walter Mashburn), para obter uma liminar concedida. O juiz acredita que Harvey dormiu com sua esposa Lauren (atriz convidada Nazanin Boniadi) e desconta sua raiva em Harvey. É revelado mais tarde no episódio que Harvey não dormiu com a esposa do juiz Pearl porque Harvey disse que não dormia com mulheres casadas. Aplaudo Harvey por ser um cavalheiro e mandar Lauren para casa de táxi, e embora eu esteja zangado com o juiz por seu comportamento, entendo que ele não sabe a verdade sobre o que aconteceu.

A cena com Louis e Mike no clube de tênis me fez estremecer com duas coisas: uma, que Mike não sabe nada sobre tênis, nem sabe como jogar, e duas, que Louis andaria pelo vestiário do clube sem uma toalha em volta da cintura. Ninguém precisa ver você em seu terno de aniversário, Louis! A cena final com Mike dizendo a Louis para seguir em frente depois de descobrir que o teste de drogas que o último o fez fazer era falso e que Tom Keller queria que Mike e Harvey o representassem mereceu um aplauso lento em agradecimento de minha parte. Diga a ele, Mike!

Algumas partes dignas de risadas do episódio foram a cena em que Donna usou o sarcasmo para zombar de Mike por entregar seus arquivos atrasados para Harvey, e a parte em que Mike entrou no trabalho como uma pipa e estava do lado de fora do elevador, apertando o botão do andar repetidamente, com as pessoas dentro do elevador se perguntando o que estava acontecendo. Eu adoro um programa onde o elemento do humor é usado de uma maneira tão perfeita.

O episódio também terminou com uma nota boa, pois o cliente de Harvey, Wyatt, teve o que merecia, graças à ideia brilhante de Mike (embora nunca saberei qual foi essa ideia). Além disso, o juiz Pearl ficou sem palavras quando Harvey lhe contou a verdade sobre o que aconteceu entre ele e Lauren, e Mike ajudou a trazer Tom Keller como cliente, foi elogiado por Jessica e encontrou uma amiga em Rachel.

Uma última coisa antes de encerrar esta revisão: meio que concordo com Harvey que você deve escolher as 146 outras opções para sair de uma situação ruim (por exemplo, quando alguém está com uma arma apontada para sua cabeça), mas de todos os crimes dramas que tenho assistido ao longo dos anos, sempre que há uma situação de refém, o (s) refém (s) muitas vezes fazem o que lhes é pedido devido ao medo de ser morto e, portanto, não seriam capazes de se acalmar o suficiente para pensar de algo que não os levará a tiros. Ok, isso é tudo que eu quero dizer. Vamos para o Episódio 3!

[Foto via USA Network]