Pessoa de interesse 4ª temporada, episódio 13, revisão: “M.I.A”

Eu não tenho certeza de como me sinto sobre esta noite Pessoa de interesse . Por um lado, eu achei que foi um episódio muito sólido que ambos continuaram o tema dos últimos episódios enquanto também exploravam Fusco, que basicamente ficou sentado em seus polegares durante a maior parte da temporada. Mas por outro lado, Sameen Shaw está vivo e chutando, e eu não sei. Eu não sei, cara.

O fato de ela estar morta foi um soco emocional no estômago. O fato de ela ter ido embora foi importante e cru, e trouxe à tona sentimentos desconfortáveis. Mas agora ela está viva. Agora ela está com o Samaritan, trancada a sete chaves, e presumo que eles vão tentar controlá-la mentalmente e usá-la contra o Team Machine. Se ela se tornar uma inimiga, isso será definitivamente perturbador e desconfortável, e tenho certeza que vai forçar um enredo interessante e movimentos de personagens. Mas, ao mesmo tempo, não sei. Não sei se isso foi feito pelos motivos certos. Eles mantiveram Sameen por perto porque realmente planejavam usá-la para criar um impacto ainda mais emocional mais tarde? Ou eles a mantiveram porque queriam manter uma coisa boa acontecendo?

Se for o último, então Jesus, tudo muda. Se foi um movimento frio de negócios, então ele simplesmente destruiu totalmente a boa vontade que o show havia gerado. Eu amo esse show, realmente o amo, e eu simplesmente odeio a ideia de que eles tinham essa personagem maravilhosa e poderosa e em vez de dar um final adequado a ela e realmente torná-la importante até o último segundo, eles desligaram. Eles se acovardam. Eles veem cifrões.

Na verdade, provavelmente é um pouco dos dois. Eu só- eu não sei. Não sei. Quero ver como isso vai se desenrolar porque confio na série, no elenco e nos escritores. Não sei como me sentir sobre a CBS porque nunca assisti um programa em que investisse tanto. Eles se intrometem em níveis semelhantes ao Showtime? Não me surpreenderia, direi isso.

Mas de qualquer maneira.

O episódio, além disso, foi bom, embora nada espetacular. Amy Acker bateu de primeira, como sempre. Jim Caviezel fez um excelente trabalho como um homem voltando à selvageria para proteger aqueles que ama. Michael Emerson realmente vende algumas linhas seriamente exageradas. Também houve muitas decisões de direção muito legais; ou seja, o corte para preto quando Reese salta a Sra. Thompson antes do intervalo comercial. Realmente inesperado, e transmitiu em um ou dois segundos o que dez segundos de realmente mostrar o que estava acontecendo teriam perdido.

Também fiquei impressionado com a ideia do Samaritano e seus planos. É uma coisa brilhante que ele aprenda a natureza humana por meio de experimentações como essa; para encontrar uma pequena cidade, para implantar técnicas, para aprender como ela fez. É uma ideia muito legal. Mas levanta algumas questões: a saber, por que, se Greer sabe sobre isso, ele ainda apóia isso? Ele está procurando por um deus benevolente para proteger a todos nós, mas os deuses não precisam experimentar. O samaritano é realmente uma criança, mas em vez de queimar formigas com uma lupa, ele está comprando quilômetros de tecidos e permitindo que xerifes estupradores controlem as coisas. Como Greer pode estar por trás de tudo isso?

Mas sim.

Sameen Shaw está vivo. Viva Sarah Shahi.

Pensamentos perdidos

- Apesar de toda a minha negatividade, estou feliz em ver Sameen novamente. Ela é uma personagem tão dinâmica.

- Amy Acker é a melhor.

- Kevin Chapman, na chance de você ler este comentário: GO PATRIOTS! QUATRO ANÉIS E BEBÊ CONTAGEM!

- Desculpe Sr. Caviezel.

- Michael Emerson, você é uma aberração. Você é estranho. Pare de aceitar falas boas sem humanidade e transformá-las em Shakespeare. Você me irrita e, como escritor, me torna desnecessário. Ótimo, ótimo trabalho.

- Além disso, vamos,Pessoa de interesse; vocês usam pontos nas siglas? O que é isso, 1974? Quase quero lhe dar uma estrela por isso.

- Deus, odeio pontos em siglas. Eu realmente quero. É como ... deixa pra lá. ECA.

[Foto via CBS]