Crítica do episódio 11 da primeira temporada de Heroes Reborn: “Send in the Clones”

Depois do que pareceu uma eternidade, Heroes Renascidos voltou para terminar sua tiragem limitada com seus três episódios finais. Bem, eu gostaria de poder dizer que a transição foi perfeita, mas não acredito que seja o caso. Foi um pequeno hiato longo depois de três episódios. “Send in the Clones” tinha ganhado muita força no final, mas eles poderiam ter usado o momentum com muito mais eficiência e dobrar os episódios mais algumas vezes, porque o intervalo do meio da temporada não ajudou em nada. No entanto, depois que descobri / lembrei o que estava acontecendo antes do intervalo, a história se juntou e se tornou um pouco mais convincente.

Esta semana emHeróis renascidos:Depois que Noah desaparece, Luke assume o esforço para ajudar Malina a salvar o mundo, mas não antes de encontrar Quentin, Phoebe e alguns dos clones. Tommy, desesperado para trair Erica, envia Katana Girl à clínica para ajudar os outros. Taylor é levado por Matt Parkman, que descobre algumas informações interessantes. O mundo é alertado sobre os planos de Erica Kravid conforme o fim do mundo se aproxima.

Comparado com o resto da temporada, este episódio realmente não pareceu particularmente substancial. Mesmo que tenha tocado quase todos os personagens em cada trama diferente, eles começaram a se unir de uma forma que faz sentido e condensa e concentra a história muito melhor do que antes. A primeira parte da temporada foi uma luta em termos de acompanhar a história, mas nos últimos episódios isso se tornou muito mais claro no geral, e uma segunda exibição ajudaria consideravelmente na primeira metade.

Você deve ter notado neste momento que eu não revisei a maioria dos 10 episódios anteriores deHeroes Renascidos,mas Serei eu quem vai terminar a temporada. Se você se lembra da minha aparição como convidado, eu não assisti ao originalHeróisSeries. Dito isso, por favor, me avise se eu estiver faltando alguma coisa. Eu geralmente estou ciente dos personagens e se eles desempenharam um papel ou não na primeira vez. No entanto, como leitores leais, aponte quaisquer erros canônicos gritantes que eu possa ter cometido.

Existem muitos atores talentosos espalhados ao longo desta série, mas entre os mais fortes estão Robbie Kay e Zachary Levi. Kay realmente gostou do heroísmo em seu papel. Ele é um jovem herói atraente e você pode sentir o conflito irradiando de Tommy enquanto ele tenta fazer a coisa certa e cumprir seu destino. Tommy ficou simpático imediatamente. Eu amei o trabalho de Kay emEra uma vez,e embora esta seja uma partida, é uma boa. Levi é um pouco diferente da história. Você não vai encontrar um maiorMandrilfã do que eu (ok, talvez você vá, mas você terá que procurar bem). Mas é por isso que Luke me decepcionou no início. No início não havia muito para ele, mas logo você começou a sentir o conflito nele. Ele descobriu suas habilidades. Ele percebeu que matar os Evos era errado. À medida que avançamos, Luke se tornou um dos personagens mais atraentes da série. Foi uma reviravolta rápida, mas fiquei muito feliz em ver. Sua jornada será crucial para seguir em frente.

No final das contas, 'Send in the Clones' pareceu uma mistura de coisas para mim, mas talvez isso tenha a ver com a sensação de estagnação que tive por ficar longe por tanto tempo. Definitivamente, são 13 episódios que deveriam ter acontecido juntos. No entanto, eu ainda achei um episódio atraente e bem interpretado que está criando algumas coisas atraentes para os dois episódios finais. Com certeza será uma jornada interessante.

O que vocês acharam? Você gostou desse episódio? Você está feliz por ele estar de volta? Nos informe!

Heroes Reborn vai ao ar às quintas-feiras às 8 / 7c na NBC

Crítica do episódio 11 da primeira temporada de Heroes Reborn: 'Envie os clones'
3

Resumo

Tommy faz uma jogada ousada contra Erica na estréia do meio da temporada de Heroes Reborn.

Enviando
Avaliação do usuário
4 (1 voto)