Crítica da segunda temporada de Gotham: A Strange Yet Uneven Comeback

Então, outra temporada de Gotham está para baixo. Na época em que a primeira temporada estava indo ao ar, lembro-me de como todo mundo reclamava sobre o quão terrível o programa era. Agora, ou essas pessoas pararam de assistir ao show ou Gotham realmente melhorou. Sim, entretanto? Quero dizer, claro, se você me perguntar, esta temporada foi muito melhor do que a última. No entanto, algo que continua me incomodando é como o programa voltou à velha rotina em algum momento. Irregular é a palavra que me vem à mente quando penso em Gotham. Claro, nosso jovem Bruce Wayne ainda está longe de ser tão interessante quanto Batman. E Selina Kyle é meio que uma piada, mas acho que foram os vilões que fizeram essa temporada funcionar.

O bom:

Os vilões:

Afinal, foi apropriadamente apelidado de “Ascensão dos Vilões” e “Ira dos Vilões”. Os vilões são realmente o que apimenta as coisas. O Coringa, a Tigresa, o Pinguim, o Charada, o Sr. Congelamento, Hugo Strange e até mesmo Theo Galavan tornaram o show muito melhor do que na temporada passada. Enquanto no ano passado tivemos Fish Mooney, este ano tivemos o curinga. A melhoria aqui é tão óbvia que você teria que ser mais burro do que Butch para não perceber. Na verdade, vou passar por cada um dos pontos positivos do vilão:

A loucura do Coringa:

Sério, Jerome foi o ponto forte dessa temporada. Eu literalmente entrei em um frenesi quando o mataram. Embora eu tenha certeza de que eles encontrarão alguém para substituí-lo como curinga em breve, ninguém pode negar que Cameron Monaghan trouxe algo único para o show. No entanto, Sarah Essen morreu em suas mãos e eu teria adorado vê-lo ressuscitado por Hugo Strange.

Os Enigmas do Charada:

Outro excelente personagem foi Edward Nygma. O que pensei dele na última temporada foi que ele é estranho, mas agradável. No entanto, agora, o cara é um maluco total e um assassino em série nisso. Além disso, ele ainda tem aquela atitude despreocupada e ainda adora enigmá-los. Nesta temporada, nós realmente vimos Nygma completar sua transição para O Charada. Tenho que dizer o seguinte: a visão de Gotham sobre o Charada é excelente e definitivamente gostaríamos de vê-lo mais na próxima temporada.

Nathaniel Hard-Ass Barnes:

Nesse ponto, pensei que o cara seria o favorito dos fãs. É verdade que ele não é o personagem mais agradável. Mas há um ar de justiça em torno dele que não pode ser negado. Ele literalmente fez o que Gordon vinha tentando fazer há anos em um piscar de olhos. Ele livrou o GCPD de muitos oficiais corruptos e dificultou muito a vida de Gordon. Sarah Essen era um grande personagem, mas eu senti que a série precisava de alguém como Barnes para desafiar Jim agora. Sim, ele está deitado em um hospital agora, mas dedos cruzados para seu retorno.

Louca Srta. Kean:

Sim, então na última temporada Barbara estava completamente louca. Bem, desta vez ela fica com os amigos de Galavan e mostra a Jim o quão louca ela realmente é. Ela causa sérios estragos antes de finalmente ser derrotada. Exceto pelo fato de que ela se levanta e fica com Butch e Tabitha desta vez. Eu não sei por que, mas mesmo que ela esteja supostamente curada, ela continua se sentindo atraída por vilões. Então, dedos cruzados para mais Bárbara louca.

Azrael:

Ele é o Batman! Preciso dizer mais? Bem, tecnicamente alguém que se autodenomina Azrael deve se tornar o Batman. Este Azrael é feito em pedaços pelo Pinguim. Foi bom ver alguém tão indestrutível como Azrael. Quer dizer, ele leva tiros repetidamente e ainda não sai. Ele espreita sem ser detectado como o Batman fará no futuro. Além disso, os talentos de James Frain foram muito melhor utilizados quando ele jogou Azrael.

Jornada de Gordon:

A história de Gordon nesta temporada foi ótima. Ele se destaca trabalhando com o Pinguim e literalmente ameaça Loeb para readmiti-lo. Ele fez seu nome no GCPD e foi derrubado pelo intrigante Charada. Ele tem seu nome limpo, mas este foi um ponto onde o show nos disse que Gordon não é invencível, embora ele meio que seja, sendo o personagem principal e tudo.

O mal:

Batman Junior:

Sério, Bruce Wayne é um pequeno pedaço chorão de merda que deve ser castigado pelo resto de sua triste vida. Nesta temporada ele reclama um pouco mais e para calá-lo os escritores decidem dar a ele um triângulo amoroso entre Silver e Selena. Suas cenas juntos eram terrivelmente ruins e havia algo assustador naquele romance. Não sei. Eu realmente acho que eles deveriam matar o Batman e transformar isso em um show de realidade alternativa sem o Batman. Porque Batman é terrível neste show. Talvez Gordon devesse se tornar o batman. Livre-se de Bruce Wayne.

Drama da família Wayne:

Os Waynes são os Kardashians de Gotham. Eles estão arruinando o show e estão arruinando nossas vidas. Então, o drama entre Alfred e Bruce atingiu alguns novos níveis aqui. Bruce quer ser o Batman, Alfred não quer que ele seja o batman. Alfred quer matar M. Malone, Bruce quer matá-lo primeiro. Alfred odeia Selina, Bruce a ama. Quer dizer, vamos? Por que os escritores acham que estamos interessados na vida dos Waynes?

A Sagrada Ordem de São Dumas:

Mais como “A ordem inútil dos monges idiotas totalmente sem relação com a trama”, esses caras eram monges malucos que matavam caras aleatórios e levavam tiros como ... muito. Na verdade, eles de alguma forma conseguiram não matar ninguém que deveria ter um papel na história. Eles não podiam nem bagunçar Gotham City como os maníacos de Theo fizeram. O Galavan de James Frain era fascinante e bem-atuado, mas mesmo como o vilão principal, Bárbara e Jerome o ofuscaram em termos de vilania. James Frain foi um desperdício total até se tornar Azrael.

Meu nome é ... irrelevante:

Firefly. Mais inútil do que mamilos em uma couraça (essa é uma linha de Game of Thrones). Ela era tão má que transformava cada episódio em um episódio terrível. Supõe-se que Firefly seja um personagem de quadrinhos, mas como Bruce Wayne, o show é terrível em retratá-la por algum motivo. Sua formação era ótima, mas o que ela fazia com seus poderes era ... meh.

A força de ataque:

Foi formado. Todo mundo morreu. Fim da história.

O final:

Honestamente, Hugo Strange foi incrível e bem atuou, mas eu não gosto do que fizeram com ele no final. Ele se tornou um idiota chorão e percebemos que ele estava recebendo ordens do tribunal das corujas. De repente, ele simplesmente não era mais interessante. E o final foi simplesmente louco e nada disso realmente fez sentido. Essas criaturas estranhas como o inferno vagando pelas ruas de Gotham parecem que custam muito do orçamento de CGI e provavelmente vão tornar as coisas ainda piores. Uma péssima maneira de terminar uma temporada que começou tão forte.

Retorno do Fish Mooney:

Jadaaaaaaa! Não, por favor, limite sua atuação a outros shows e Hollywood. Nós não queremos você aqui. Fish Mooney foi tão ruim que acho que ela é a razão do final ter sido tão ruim. Eles aprenderam alguma coisa com a 1ª temporada? Todo mundo a odeia e você decide que dar a ela um superpoder vai torná-la melhor? Sem chance.

Gotham retornará no outono de 2016 na FOX.

Foto via IGN.

Crítica da '2ª temporada' de Gotham
3

Resumo

A 2ª temporada de Gotham começou muito forte, mas depois piorou. No final, era quase irreconhecível e impossível de assistir. A maior força de Gotham eram seus vilões e sua maior fraqueza era a execução do enredo.

Enviando
Avaliação do usuário
3 (3 votos)