Crítica do episódio 18 da segunda temporada de Gotham: ”Pinewood”

Muita coisa aconteceu no episódio desta semana de Gotham enquanto Bruce e Alfred continuam a olhar mais para o Projeto Chimera enquanto Gordon lida com Barbara entrando em sua vida novamente e finalmente descobrimos a identidade do Paciente 44.

Enquanto eu ainda estou chateado com a rapidez com que algumas das histórias anteriores já foram concluídas, incluindo a jornada de Bruce nas ruas com Selina, eu realmente me encontrei realmente gostando de ver Bruce e Alfred trabalhando juntos novamente. Devo admitir que no segundo que Lucius Fox apareceu na caverna, eu realmente tinha esquecido que ele ainda fazia parte do show. É realmente muito estranho como Lucius é um personagem regular da série quando ele nem participou de pelo menos dez episódios nesta temporada. A menos que ele esteja desempenhando um papel maior nos episódios restantes, quase parece um grande desperdício de um grande ator e personagem neste status. Fora isso, acho que esse foi um dos melhores episódios de Bruce / Alfred em um bom tempo. No entanto, estou um pouco dividido com o quão longe o projeto de Strange foi, especialmente com o caso de Karen.

Não é que eu tenha problemas com Strange fazendo este projeto, ele é um vilão afinal, então eu não questiono que, além disso, ele é um dos malandros mais psicológicos e científicos do Batman daquela galeria. Em vez disso, é o fato de que agora estamos entrando no que parece ser um aspecto sobrenatural / fantasia que pode ser visto de duas maneiras. Por um lado, este é um show baseado no mundo da DC Comics, onde coisas como meta-humanos, mágica e muito mais existem, definitivamente nos mitos do Batman também. Mas, ao mesmo tempo, da maneira como esse show foi estabelecido, ele realmente não se encaixava (ainda) com esse tom queGothamtem. Posso, no entanto, aceitar a ideia de que veremos mais desses elementos de quadrinhos por meio do projeto de Strange, o que pode, por sua vez, ajudar a dar corpo ao universo desse programa, mesmo que esteja acontecendo tão cedo na vida de Bruce Wayne. Parecia estranho - sem trocadilhos - a maneira como foi apresentado do nada.

O que também ajudou a tornar esse enredo mais forte foi a revelação de que Strange e Thomas Wayne costumavam ser amigos, o que torna isso ainda mais pessoal para Bruce e isso é algo que eu gostei. Strange também liberou Mr. Freeze 1.0. (ou isso conta como 2.0.?) em nossos heróis e direi que, como fã de quadrinhos que sou, realmente adoro o design de seu traje blindado. Parece que está pegando emprestado de várias interpretações, tanto nos quadrinhos quanto do Sr. Freeze na mídia. O único medo que tenho por Victor neste momento é que ele será apenas uma vítima de Strange por um longo período. Falando em vítimas: embora esta não tenha sido a maior surpresa de todos os tempos, vemos o retorno de Theo Galavan e a grande dica do que está por vir para ele no próximo episódio, o que será bastante intrigante de ver.

Não sei por que, mas senti muita pena de Barbara, ao mesmo tempo que gostava de vê-la louca. A única coisa decepcionante sobre seu papel no episódio foi que ela acabou voltando com Tabitha e Butch (que eu amo, mas não está sendo usado corretamente como um personagem). Ainda é muito estranho porque Tabitha está por perto, já que eles mal a colocaram para usar na segunda metade da temporada. Embora houvesse toda aquela história de seu irmão estar de volta, tenho certeza que a deixará profundamente preocupada ... só o tempo dirá! No geral, “Pinewood” foi um avanço e, embora tenhamos que passar por mais um hiato de uma semana, a segunda metade desta temporada foi uma grande melhoria e esperançosamente terminará tão forte com esses episódios finais.

Gothamretorna em duas semanas na segunda-feira, 2 de maio, com o 19ºepisódio intitulado “Azrael” em 8 / 7c na FOX.

[Foto: Jeff Neumann / FOX]

4

Resumo

Bruce e Alfred chegam um passo mais perto em sua investigação do Projeto Chimera e a identidade do Paciente 44 é revelada no Gotham desta semana.