Estreia da terceira temporada de Gossip Girl: uma crítica

A estréia da temporada de Gossip Girl foi ao ar ontem à noite e depois de um verão de grandes esperanças para o show, fiquei um pouco desapontado. Foi uma montanha-russa de pontos altos e baixos, mas não tanto para os personagens quanto para mim. Tive dificuldade em comprar muitas das explicações por trás de algumas das ações das crianças ontem à noite, nomeadamente Serena (Blake Lively), Chuck (Ed Westwick) e Blair (Leighton Meester) e Dan (Penn Badgley). Rezo para que Josh Schwartz e a equipe aumentem o ritmo logo, porque o que vi ontem à noite foi uma TV maluca, e não uma boa TV maluca.

No final da segunda temporada, Blair e Chuck finalmente se encontraram e simultaneamente acalmaram os nervos de um milhão de garotas adolescentes gritando para que o evento acontecesse, Jenny (Taylor Momson) recebeu a coroa de nova Abelha Rainha de Constança por Blair, Nate (Chace Crawford) e Vanessa (Jessica Szhor) estavam a caminho da Europa para uma viagem de mochila, Lily (Kelly Rutherford) e Rufus (Matthew Settle) ficaram noivos e foram morar juntos para formar um moderno Brady Bunch, e Carter Baizen apareceu para diga a Serena que ele localizou o pai dela no exterior. Ah, e a garota má Georgina Sparks (Michelle Trachtenberg) recuperou o dinheiro que foi roubado de Poppy (Tamara Fieldman) para Dan e se alistou na NYU como colega de quarto de Blair.

A terceira temporada começou com todos revelando imediatamente o que faziam nas férias de verão. Alguns eram mundanos, enquanto outros são um pouco rebuscados, e é por isso que gritei 'Shenanigans!' para a tela ou revirei os olhos com desdém algumas vezes.

Em primeiro lugar, não acreditei nem por um segundo que Rufus ou Dan não soubessem sobre a festa de Serena na Europa. Tenho certeza de que eles assistiram à TV durante o verão ou usaram a Internet para algo que poderia ter mostrado algum tipo de suspeita sobre as façanhas de Serena. Sua ignorância sobre o assunto era, na melhor das hipóteses, desconcertante.

O raciocínio de Serena por trás de todo o caos que ela estava causando era infantil na melhor das hipóteses, e ela dar conselhos a Blair no início do episódio sobre como crescer era como o chá chamando a chaleira de preto no final do episódio. Por falar em Blair, o 'jogo que ela e Chuck estavam jogando era tão ultrajante que só podia ser visto na TV. É ridículo, mas não necessariamente de um jeito bom. Além disso, o enredo de Blair e Chuck rebaixou um pouco seus personagens aos meus olhos e foi um tapa na cara de todos os fãs do Chair que estão ansiando por seu casal.

A pobre Vanessa foi lentamente sendo eliminada do grupo na noite passada, o que é triste porque ela foi a única sã durante toda a hora.

Dan ainda era um idiota pomposo; um aspirante a que finalmente conseguiu o que secretamente sempre quis. Mas Dan está com a cabeça tão enfiada na bunda que a fumaça que está respirando o iludiu, fazendo-o mentir sobre a porcaria mais tediosa. Era meio doloroso assistir às vezes.

Uma das duas linhas da história que vejo funcionando agora é a próxima batalha de Nate com sua família. Embora eu não concorde com a maneira como Nate está lidando com a independência de seus pais, mal posso esperar para ver o que será necessário para ele perceber o que Bree está tentando dizer a ele sobre o lado negro da rebelião. Esperançosamente, Bree vai colocar algum tipo de sentido na cabeça de Nate, o que é muito esperado no meu livro. O segundo enredo que vejo funcionando é o de Scott Ronsson (Chris Riggi), o filho amado de Lily e Rufus. Ele parece um pouco jovem para ser mais velho que Serena e Dan, mas sua presença é uma boa sacudida de mistério e intriga que faltaria se fôssemos deixados com os problemas do pai de Serena e os jogos de salão da cadeira. Rezo para que Jenny e Eric (Connor Paolo) tenham mais tempo na tela nesta temporada, porque sinto que eles (ou apenas Jenny) teriam sido grandes âncoras para um spin-off em vez de uma Lily mais jovem. Quanto mais eles separam Jenny do elenco principal, mais fica aparente que 'The It Girl' deveria estar na programação de outono deste ano. A explicação para a ausência de Lily também fazia muito sentido, devido ao fato de Kelly Rutherford estar em licença maternidade no momento.

Resumindo, este é o primeiro episódio da temporada e talvez GG avance nos próximos episódios. Não posso que Jenny enfrente as novas garotas malvadas e que Georgina venha e destrua o mundo de todos quando a escola voltar para a turma. Ainda tenho fé que Josh Schwartz e a tripulação podem conduzir este navio para fora do campo minado de ideias fúteis que explodiram por todo o lugar ontem à noite. E mesmo se eles não fizerem, eu ainda estarei lá assistindo cada segundo de loucura que eles jogam na tela.

Gossip Girl vai ao ar às segundas-feiras às 9/8 no centro da CW.